1º ENIIG 2016 – Âmbito local e regional

Caros,

Em plena semana de arranque do Web Submit, vai realizar-se nos dias 8 e 9 de novembro de 2016 o “1º Encontro Nacional de Infraestruturas de Informação Geográfica (ENIIG 2016)”.
http://eniig.dgterritorio.pt/

O ENIIG 2016 é organizado pela Direção-Geral do Território (DGT) e focar-se-á nos principais desafios técnicos, políticos e legais associados ao desenvolvimento de Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG), nomeadamente os definidos no diploma legal que transpõe para o direito nacional a Diretiva INSPIRE da União Europeia.

O âmbito local e regional terá destaque no segundo dia: 9.Novembro(Qua) com as seguintes sessões:

09h00 | Infraestruturas de Informação Geográfica na Administração Pública Regional e Local – exemplos de implementação (sessão 5)
As Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) podem existir a diferentes níveis territoriais (transnacional, nacional, regional e local) e temáticos. O objetivo desta sessão é trazer exemplos de desenvolvimentos de IIG a nível regional e local em Portugal e debater a sua relevância não só para o SNIG, como para o cumprimento das obrigações da Diretiva INSPIRE.
Moderador: Marco Painho, Information Management School, Universidade Nova de Lisboa (NOVA IMS)

A Implementação de uma infraestrutura de dados espaciais (IDE) regional na Área Metropolitana do Porto
Avelino Oliveira, Área Metropolitana do Porto (AMP) Lino Oliveira, Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores – Tecnologia e Ciência (INESC TEC)

IDEiA
Marlene Antunes, Governo Regional dos Açores

sigamcb.pt – O Geoportal de informação geográfica oficial da região
Jorge Antunes, Associação de Municípios da Cova da Beira

IDE-OTALEX C – Primeira infraestrutura de informação geográfica transfronteiriça: desenvolvimento, desafios e sustentabilidade
Teresa Batista, Paula Mendes e Cristina Carriço, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC)

IDEAgueda, uma imagem local
Miguel Tavares, Câmara Municipal de Águeda

10h45 | Infraestruturas de Informação Geográfica na Administração Pública Regional e Local – Debate (sessão 6)
Moderador: Rui Pedro Julião, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (FCSH/NOVA)

Modelos de desenvolvimento e avaliação de Infraestruturas de Dados Geográficas Locais
Joaquim Alonso, Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)
Participantes do painel:
Joaquim Alonso, Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)
António Torres, Comunidade Intermunicipal da Lezíria do Tejo (CIMLT)
Victor Ferreira, OSGeo-PT
Francisco Silva Cardoso, Câmara Municipal do Montijo
Mário Caetano, Direção-Geral do Território (DGT)


Ricardo Pinho

3 comentários em “1º ENIIG 2016 – Âmbito local e regional”

  1. Caros,
    Segundo indicações recebidas, as inscrições no ENIIG 2016 esgotaram rapidamente e estarão presentes muitos Municípios.
    Seria interessante conhecer as expectativas dos Municípios neste 1º ENIIG, relativamente aos SIG Municipais!
    Proponho, aos que vão ao ENIIG, partilhem em resposta a esta mensagem.
    1. A que Município pertencem?
    2. Qual o principal ASSUNTO/TÓPICO que esperam ver lá debatido?

    Adianto já o meu caso:
    1. CM de Oliveira de Azeméis
    2. Quando será a integração dos Municípios no SNIG-INSPIRE e como será feita a harmonização de conjuntos de dados geográficos locais e regionais para essa integração?

    Cumprimentos,

  2. Mário Caetano
    1-Técnico/ULieboa TagusPark.
    2-Interoparebilidade entre Cadastros da Administração Central?
    Até amanhã
    MRG

  3. Caros colegas,
    Os slides das apresentações do ENIIG 2016, já estão disponíveis:

    8 de novembro

    10h00 | A Diretiva INSPIRE e a democratização do acesso à informação geográfica (sessão 1)
    Esta sessão pretende realçar o papel das Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) no acesso generalizado a Informação Geográfica interoperável e a sua relevância como contributo para a transparência, essencial numa sociedade democrática. Pretende-se promover o debate em torno de aspetos essenciais para alcançar este objetivo, nomeadamente as necessidades da Administração Pública em termos de recursos humanos, técnicos e financeiros e as políticas de partilha de dados geográficos atualmente existentes.

    A Diretiva INSPIRE e a democratização do acesso à informação geográfica
    Mário Caetano, Direção-Geral do Território (DGT)

    11h00 | As Infraestruturas de Informação Geográfica na definição e implementação de políticas públicas (sessão 2)
    As Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) viabilizam a pesquisa, avaliação e exploração de informação geográfica por utilizadores diversos, provenientes de todos os níveis de atuação governamental, empresas,
    associações sem fins lucrativos, academia e cidadãos em geral. Pretende-se dedicar esta sessão à apresentação e reflexão sobre o papel das IIG na definição e implementação de diferentes políticas públicas (e.g. ambiente e
    ordenamento do território, gestão marinha e costeira, agricultura e florestas).
    Moderador: Luísa Schmidt, Instituto de Ciências a Universidade de Lisboa (ICS)

    SNIAmb e políticas de ambiente
    Joaquim Pinto da Costa, Agência Portuguesa do Ambiente (APA)

    SNIT – Serviço público de informação, gestão e colaboração sobre oterritório
    Ana Cristina Antunes e Regina Pimenta, Direção-Geral do Território (DGT)

    As infraestruturas de informação geográfica no ordenamento, gestão econhecimento do espaço marítimo nacional
    Elizabete Dias e Henrique Tato Marinho, Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM)

    As infraestruturas de informação geográfica nas estatísticas oficiais:Contexto e exemplos de aplicação
    Ana Santos, Instituto Nacional de Estatística (INE)

    14h00 | O contributo das Infraestruturas de Informação Geográfica para a modernização da Administração Pública e para a economia digital (sessão 3)
    Portugal tem investido em ações e medidas de governação eletrónica (eGov), nomeadamente através do desenvolvimento de mecanismos e práticas suportados por plataformas digitais e tecnologias de informação e comunicação (TIC),
    estando alinhado e contribuindo para iniciativas europeias como o mercado único digital e as suas medidas (e.g. Plano de Ação egov 2016-2020, Estratégia e o quadro de interoperabilidade europeus). Esta sessão é dedicada à discussão das potenciais sinergias entre as infraestruturas de informação geográfica, nomeadamente do SNIG, e as medidas do governo português na área do eGov e da modernização administrativa.
    Moderador: Luís Fernandes, Agência para a Modernização Administrativa (AMA)

    O Mercado Único Digital, a interoperabilidade no sector público e osinstrumentos de suporte Europeus
    Margarida Abecasis, Comissão Europeia (CE)

    Orientações relativas à Interoperabilidade no contexto da prestação deserviços públicos. Alinhamento com a Framework Europeia deInteroperabilidade
    Paulo Lobo, Agência para a Modernização Administrativa (AMA)

    GeoMAI – apoio à atividade operacional com informação com mais valor egeograficamente contextualizada
    Francisco Gomes, Secretaria Geral do Ministério da Administração Interna (MAI)

    Informação geográfica do município de Lisboa: desafios de gestão e linhasde estratégia
    Rosa Branco, Câmara Municipal de Lisboa (CML)

    15h45 | Novos paradigmas e tendências para a Informação Geográfica (sessão 4)
    A evolução tecnológica e da sociedade da informação trouxeram também para o domínio da informação geográfica (IG) novos paradigmas, que requerem um amplo debate e uma consciencialização por parte dos principais envolvidos
    na criação e utilização de IG. Pretende-se nesta sessão promover a reflexão sobre as principais questões que se colocam atualmente neste domínio, nomeadamente novos paradigmas para a aquisição e produção de IG e respetivo
    acesso.
    Moderador: João Catalão Fernandes, Faculdade de Ciências, Universidade de Lisboa

    Análisis y objetivos de La Infraestructura de Datos Espaciales de España
    Paloma Abad Power, Centro Nacional de Información Geográfica, Instituto Geográfico Nacional (IGN)

    A informação geográfica voluntária e as infraestruturas de informação geográfica – potencialidades, limitações e exemplos de implementação
    Cidália Fonte, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade de Coimbra

    Informação geográfica: Os próximos 10 anos
    António Câmara, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Universidade Nova de Lisboa (FCT/NOVA)

    9 de novembro

    09h00 | Infraestruturas de Informação Geográfica na Administração Pública Regional e Local – exemplos de implementação (sessão 5)
    As Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) podem existir a diferentes níveis territoriais (transnacional, nacional, regional e local) e temáticos. O objetivo desta sessão é trazer exemplos de desenvolvimentos
    de IIG a nível regional e local em Portugal e debater a sua relevância não só para o SNIG, como para o cumprimento das obrigações da Diretiva INSPIRE.
    Moderador: Marco Painho, Information Management School, Universidade Nova de Lisboa (NOVA IMS)

    A Implementação de uma infraestrutura de dados espaciais (IDE) regional na Área Metropolitana do Porto
    Avelino Oliveira, Área Metropolitana do Porto (AMP); Lino Oliveira, Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores – Tecnologia e Ciência (INESC TEC)

    IDEiA
    Marlene Antunes, Governo Regional dos Açores

    sigamcb.pt – O Geoportal de informação geográfica oficial da região
    Jorge Antunes, Associação de Municípios da Cova da Beira

    IDE-OTALEX C – Primeira infraestrutura de informação geográfica transfronteiriça: desenvolvimento, desafios e sustentabilidade
    Teresa Batista, Paula Mendes e Cristina Carriço, Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central (CIMAC)

    IDEAgueda, uma imagem local
    Miguel Tavares, Câmara Municipal de Águeda

    10h45 | Infraestruturas de Informação Geográfica na Administração Pública Regional e Local – Debate (sessão 6)
    As Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) podem existir a diferentes níveis territoriais (transnacional, nacional, regional e local) e temáticos. O objetivo desta sessão é trazer exemplos de desenvolvimentos de IIG a nível regional e local em Portugal e debater a sua relevância não só para o SNIG, como para o cumprimento das obrigações da Diretiva INSPIRE.
    Moderador: Rui Pedro Julião, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (FCSH/NOVA)

    IDE & Municípios – Um retrato
    Rui Pedro Julião, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa (FCSH/NOVA)

    Modelos de desenvolvimento e avaliação de Infraestruturas de Dados Geográficas Locais
    Joaquim Alonso, Instituto Politécnico de Viana do Castelo (IPVC)

    13h30 | Interoperabilidade e novos modelos de dados para a Informação Geográfica (sessão 7)
    A interoperabilidade dos dados geográficos é um dos requisitos de uma Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) e uma das exigências da Diretiva INSPIRE. Esta sessão pretende partilhar algumas experiências e boas práticas de criação e transformação de conjuntos de dados geográficos para os modelos de dados exigidos no âmbito da Diretiva INSPIRE.
    Moderador: Jorge Rocha, Universidade do Minho

    From the INSPIRE engine room
    Michael Lutz, Centro Comum de Investigação (JRC), Comissão Europeia (CE)

    Conceitos sobre harmonização de dados geográficos INSPIRE
    Danilo Furtado e André Serronha, Direção-Geral do Território (DGT)

    Harmonização INSPIRE de dados geográficos para suporte à atividade estatística
    Francisco Caldeira, Instituto Nacional de Estatística (INE)

    15h15 | Soluções tecnológicas para Infraestruturas de Informação Geográfica (sessão 8)
    Uma Infraestruturas de Informação Geográfica (IIG) depende do desenvolvimento de um conjunto de componentes que incluem: a criação e disponibilização de metadados; o desenvolvimento de serviços de dados geográficos para a pesquisa, visualização e descarregamento dos respetivos dados; e a transformação dos dados geográficos de acordo com determinadas especificações. Pretende-se nesta sessão trazer para o encontro algumas das soluções existentes, tanto proprietárias como open-source.
    Moderador: Alexandra Fonseca, Direção-Geral do Território (DGT)

    FME- Simplificando a harmonização de dados a INSPIRE com FME
    Francisco Girón Gesteira, con terra

    Infraestruturas de Informação Geográfica no Ecossistema ArcGIS
    Edgar Barreira, Esri Portugal

    INSPIRE as a Service: Harmonisation and Publishing made easy and cost-efficient
    Thorsthen Reitz, wetransform

    Building Interoperable SDI with GeoSolutions Open Source Products
    Nuno Oliveira, Geo-solutions S.A.S

Os comentários estão encerrados.